Carlos Scliar

Carlos Scliar
Carlos Scliar

CARLOS SCLIAR
(1920 – 2001)

Nasceu em Rio Grande do Sul; Brasil.

A partir do ano de 1931, Scliar começa a colaborar nos cadernos juvenis e infantis dos jornais Diário de Notícias e Correio do Povo, assim como na Revista do Globo de Porto Alegre e no O Jornal, do Rio de Janeiro, escrevendo e ilustrando poemas, contos e novelas. Participa como pintor amador da exposição do Centenário Farroupilha (Porto Alegre, 1935) e, no ano de 1938, é um dos fundadores e primeiro secretário da Associação de Artes Plásticas Francisco Lisboa.

Como artista, em 1940, faz sua primeira mostra individual de pintura.
Integra a Família Artística Paulista. Também, em São Paulo, colabora na Revista Cultura.

Ganha medalha de prata em pintura na Divisão de Arte Moderna do Salão Nacional de Belas Artes de 1940.

Carlos Scliar é convocado pela FEB em 1943,seguindo para a Itália em 1944. Nas horas de folga, desenha tudo que o cerca: paisagens, interiores e retratos que mudam sua trajetória inicial como pintor.

Em 1947, o artista viaja para Paris, onde participa intensamente dos movimentos na Defesa da Paz entre os Povos. Retornando ao Brasil, no ano de 1950, fixa-se em Porto Alegre em busca de suas raízes. Participa da criação do Clube de Gravura, embrião que se espalhou pelo país e até pelo exterior.

 
 

No Rio de Janeiro, em 1956, é convidado por Vinícius de Moraes para ser consultor plástico da ópera Orfeu da Conceição. Em 1958 torna-se diretor de arte da revista Senhor, considerada um marco no setor editorial brasileiro. A partir de 1960, Scliar passa a viver exclusivamente como artista, realizando inúmeras mostras individuais de pintura, desenho e gravura - trabalhos criados em seus ateliês de Cabo Frio e Ouro Preto. Também integra centenas de coletivas no Brasil e no exterior.

 

Na década de 70, produz painéis para o Museu Manchete no Rio de Janeiro, para a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Centro Administrativo de Salvador e para a Imprensa Oficial do Rio de Janeiro, em Niterói.

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM- realizou retrospectiva do artista no ano de 1991.

 

Entre suas exposições, destaca-se, também, a mostra itinerante Ouro Preto, saudades de quem te ama, que,no período 1992/99, percorre várias cidades brasileiras: Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, Solar do Rosário em Curitiba (Paraná) Pinacoteca do Estado de São Paulo, Sala Celso Cid Garcia de Londrina (Paraná), Centro Cultural da Universidade Federal de Minas Gerais em Belo Horizonte, Sala Manoel da Costa Athaíde em Ouro Preto e universidade Federal de Viçosa (Minas Gerais).

O álbum de serigrafias 1500/2000 - A Redescoberta do Brasil, realizado pelo artista em 1999, foi apresentado no Pallazzo Maluezzi, em Bolonha, na Itália, e a mostra Cadernos de Guerra - Desenhos - 7 944/45 no Museo Morandi, também em Bolonha no ano de 2000. 

 

As obras de Carlos Scliar podem ser vistas em acervos de museus e coleções nacionais e estrangeiras.

Ver Obras
Gostou de alguma obra?